BANNER PMJM
cmjm 2

Coleta de lixo em Barão: Liarth deve retomar o serviço, sob novo contrato

Empresa apresentou a quarta melhor proposta em dispensa de licitação, mas foi considerada habilitada após a desclassificação de duas empresas e inabilitação de uma terceira

Por Redação/N1 em 16/02/2024 às 16:41:24

A empresa Liarth Serviços Ltda deve retomar a prestação de serviço de coleta de resíduos em Barão de Cocais, mas com novo contrato. A empresa apresentou a quarta melhor proposta aos cofres públicos, mas foi considerada habilitada e teve a proposta aceita após a desclassificação de duas empresas e a inabilitação de uma terceira. Como informado pelo secretário municipal de Meio Ambiente, Cristiano Lage, a Liarth é a empresa que havia se recusado a renovar por mais seis meses o contrato com a Prefeitura para coleta e transporte de resíduos sólidos, o que obrigou o Executivo a fazer a contratação emergencial. Participante do certame, ela foi considerada apta a prestar o serviço, com pagamento de R$1.281.500,00 pela coleta e destinação dos resíduos pelo prazo de cinco meses.

A expectativa é de que, concluído todos os trâmites legais e homologado o novo contrato, seja solucionado o problema de coleta de lixo em Barão. Moradores da cidade e do distrito de Cocais vêm sofrendo nas últimas semanas com a ausência do serviço, apesar do esforço dos garis da Prefeitura em realizar a coleta provisoriamente. Esses servidores têm o esforço reconhecido pela população. Já a Administração, comandada pelo prefeito Décio do Santos (PSB) foi alvo de duras críticas, inclusive nas redes sociais, com direito a embate direto com a Câmara de Vereadores. Na última semana, o presidente do Legislativo, João Lima (PSDB) cobrou a responsabilização da Prefeitura. "A falta de competência da Prefeitura Municipal de Barão de Cocais em gerenciar a coleta de lixo no município está causando diversos transtornos para a população cocaiense há dias", disse ele em vídeo.

Já o vereador Rafael Tcheba (PSB), também cobrou que o prefeito busque solucionar o não licenciamento do aterro sanitário de Barão de Cocais. Como o aterro não está em funcionamento, o município tem que pagar pelo recolhimento dos resíduos e também pelo transporte destes para o aterro localizado na cidade de Sabará. Em postagem em rede social, Rafael Tcheba questiona: "Por que o prefeito, que tanto fala que colocou os licenciamentos das mineradoras debaixo do braço, ainda não atuou de forma tão brilhante no licenciamento do aterro sanitário? Precisamos economizar...".

Conforme mensagem do agente de contratação, é esperado agora o cumprimento dos trâmites internos até a adjudicação e homologação da dispensa de licitação. O parecer da secretaria de Meio Ambiente reforça a necessidade de início imediato da prestação do serviço, tão logo o contrato seja assinado.


Comunicar erro
Banner SGRA

Comentários

CMJM