Mais de 30 policiais civis da regional de João Monlevade são vacinados contra a covid-19

Delegado determina que policiais que trabalham em escala de plantão sejam priorizados. Posteriormente serão imunizados os policiais que desempenham funções administrativas

Foto: Divulgação

Foto: Divulgação

Desde que as forças de segurança pública foram incluídas nos grupos prioritários da vacinação contra o coronavírus, 31 policiais civis da 4ª Delegacia Regional de Polícia Civil em João Monlevade (4ª DRPC), receberam a primeira dose da vacina. Importante destacar que a regional de Monlevade é composta por 10 municípios, agrupados em seis unidades territoriais: João Monlevade, Alvinópolis, Dionísio, Nova Era, Rio Piracicaba e São Domingos do Prata.

Segundo o delegado regional Paulo Tavares Neto, foi estabelecido internamente uma escala de prioridade em sua regional, para a vacinação dos policiais. O primeiro ponto levado em consideração é o plantão regionalizado. Assim, os policiais que trabalham em escala de plantão são priorizados em relação aos policiais que desempenham funções administrativas. "Os serviços administrativos nós conseguimos estabelecer agendamento. Já no plantão não tem como prever quando haverá crimes, qual a demanda de serviço, como os conduzidos à delegacia serão apresentados. Por isso priorizamos os policiais que trabalham nesse regime", explicou o delegado. Dentro da escala de plantão são vacinados primeiro os policiais com idade mais avançada, para posteriormente, todos os plantonistas receberem a vacina. Importante frisar que como o delegado regional não trabalha na escala de plantão, ele não foi vacinado.

A chefia da regional agradece aos prefeitos e às equipes de saúde que atendem os policiais. "A porcentagem de doses determinada pelo Governo do Estado para as forças de segurança pública não atendem de imediato todos os segmentos. Mas agradeço aos prefeitos dos municípios que compõem a Regional de João Monlevade bem como às equipes de saúde, pelo atendimento e prontidão dispensados", destacou Paulo Tavares.